Thursday, 25 December 2008

Feliz Natal!!!

Nessa época do ano a gente fica sempre emotivo. Falamos da família, analisamos a vida e tudo o que acontece ao nosso redor. É como se alguns filmes ficassem se repetindo na nossa mente.


Isso é o que acontece normalmente com uma pessoa durante as festas de final de ano, agora imagine como fica a vida de um futuro imigrante que está na véspera de mudar cmpletamente de vida.

Pense numa confusão!

Por isso a gente vai vivendo um dia de cada vez, tentando ficar perto das pessoas amadas e longe das que não fazem nenhuma diferença. Nesses dias recentes rolou uma discussão com um tio que não admite que tem gente sem caráter na família.

É como se todos os irmãos dele fossem perfeitos e não tivessem defeitos. Defeitos todos nós temos. E alguns da família tem falta de caráter. Ponto final.

Mas vamos pra frente que a época é de curtir e celebrar...

Nós desejamos um Feliz Natal para todos e que 2009 traga a realização dos sonhos possíveis.


Saturday, 13 December 2008

Onde ficar na chegada?

Umas das coisas que a gente já tinha definido era onde ficaríamos na nossa chegada no Canadá. Aliás, fizemos isso assim que decidimos o nosso destino.

A gente tem essa mania de planejar as coisas...mas hoje aconteceu um imprevisto e teremos de achar um outro local, pois os proprietários não poderão nos receber.

Agora estamos caçando apartamentos mobiliados no Sábado à noite, mas temos tempo a vai dar tudo certo...


Monday, 8 December 2008

Curiosidades Caninas - Nossa cadela hipocondríaca

Não, eu não estou delirando. A Mel é hipocondríaca. Deixem eu me explicar.

Faz uns três dias que ela tá coçando o fucinho e espirrando. Falei com o veterinário e ele me disse para dar um anti-alérgico ela. Alergovet. Quando ela me viu pegando a caixa de remédio deles ela começou a latir pra chamar a atenção e só parou depois que eu dei o remédio para ela.

Nessa hora eu tava falando com a Sô no telefone e ambos começamos a rir quando eu expliquei a ela o motivo dos latidos da Mel. A cadela é uma figura.

Já o Dino se esconde se achar que o remédio é para ele.

Quem tem cachorro sabe que esses seres de quatro patas são extremamente interessantes e que o convívio com eles é muito bom. Aliás, como diz a propaganda...

"Cachorro é tudo de bom!!!".


Saturday, 6 December 2008

Com a cabeça em vários lugares

Esses momentos que antecedem a viagem para o Canadá são muito complexos. Todos os dias eu me pego pensando em alguma coisa que tem no Brasil e que não vai ter no Canadá.

Podem ser pessoas, comidas, lugares ou até mesmo hábitos que temos e consideramos banais, mas que não encontraremos no nosso novo país. É óbvio que ao nos mudarmos para um novo país novos hábitos surgirão. Hábitos como o de patinar no gelo ou de simplesmente andar pela rua sem medo de entrar nas estatísticas de criminalidade. Mas nem por isso as coisas ficam mais simples.

Dos meus avós, apenas a minha avó materna é viva. E como ela passou dos oitenta anos e foi fumante durante boa parte da sua vida, a minha partida deve marcar o nossso último contato físico.

Meus pais estão numa campanha por netos que já dura alguns anos. E nós teremos filhos canadenses. Se der tudo certo, já em 2010. Infelizmente nossos filhos estarão a uma distância de 36 horas de viagem deles. Minha mãe tem uma irmã que tem um déficit intelectual e isso vai complicar as viagens para o Canadá.

Da minha irmã ficarei com o sentimento de que eu poderia ter melhorado a nossa relação. Tenho tentado e acho que temos conseguido. Infelizmente o convívio sob o mesmo teto nem sempre é fácil. Quem sabe no Canadá...

Os amigos são poucos. Alguns do presente e outros do passado. Pelo menos para mim essa palavra tem valor e eu uso com moderação. Mas dos poucos que tenho vou sentir saudades.

A família é grande no papel, mas no coração nem todos ocupam o mesmo espaço. O espaço foi reservado apenas para aqueles que participaram intensamente da minha vida e esses eu faço questão de receber no Canadá. Alguns outros eu gostaria de mandar para Yukon.

Do Brasil, algumas coisas ficarão na memória. Numa caixinha de boas lembranças. Os locais onde estudei, trabalhei, morei, visitei, sorri, chorei, sofri e amei.

Uma sopa de nomes me vem a cabeça: Colégio Contato, Rua Sideral, Rua Dom José Lopes, UFPE, Praia de Itamaracá, Praia de Tamandaré, Brasília, João Pessoa, Fernando de Noronha, Estádio dos Aflitos, Praia da Boa Viagem, Arcoverde, São Bento...

Mas vamos resolvendo uma coisa de cada vez e vivendo as coisas ao sei devido tempo.

É por isso que ultimamente a caneça está em vários lugares.


Wednesday, 3 December 2008

Reflexões da Sô

Cá estou eu, num dia de frio em pleno verão do Rio Grande do Sul, pensando na vida, jogada no sofá, aproveitando o computador da minha querida prima para escrever minhas reflexões sobre a data da partida que está chegando...

Claro que o frio daqui nem pode ser comparado com o frio real, mas o tempo hoje está daqueles...cinzento, chovendo e 19,4% com um ventinho gelado que com certeza dá uma sensação térmica de mais frio... mas o que eu posso dizer é que para mim parece frio.

Uma das coisas que fiz questão foi vir para cá para me despedir de parte da minha família que mora aqui. Está sendo quase uma visita de médico de tão rapidinha, mas estou aproveitando bastante. É legal reencontrar pessoas queridas que foram e são muito importantes para mim.

Ao mesmo tempo dá uma sensação diferente, estranha, de pensar que poderá demorar muito para eu voltar aqui, já que vir do Canada para o Brasil não será como ir ali na esquina e, principalmente, porque meus pais e os pais do Fá moram em Recife e Recife não é pertinho de Porto Alegre...

Mudei para Recife há quinze anos e essa viagem para o RS está sendo bem interessante, pois estamos lembrando de muitas histórias que estavam esquecidas. Até estou pensando em criar um blog para ir registrando essas lembranças, mas blog requer dedicação e eu não sei se quero mais essa responsabilidade nesse momento.

É uma sensação muito diferente estar aqui, que ainda não consigo definir bem, mas pelo visto é só o começo das sensações estranhas. (rs)

Hoje irei fazer um programa que veio de brinde: irei assistir a final da Copa Sul-Americana e isso me traz uma lembrança muito legal, pois a primeira vez que fui a um jogo de futebol foi uma final do Gauchão, no Beira Rio, um gre-NAL, e o Inter foi Campeão. Espero que hoje eu continue tendo o "pé-quente".

O único problema de estar aqui é a saudade do Fá e dos cães, mas já já vai passar...

Vou ficando por aqui...


Friday, 28 November 2008

Diplôme d'études en langue française - DELF - Niveau B2


Uma das coisas que aprendemos nesse processo de imigração foi que a gente sempre precisa ter documentos para comprovar a nossa experiência de trabalho e acadêmica.

E foi por isso que decidimos fazer uma prova para termos um diploma que comprovasse nosso nível de conhecimento de Francês na Aliança Francesa de Recife.

Depois de conversarmos com o pessoal da Aliança, nós decidimos fazer a prova do DELF nível B2 e hoje recebemos o resultado com aprovação e nota excelente. Para quem não conhece a prova, segue aqui um breve descritivo.
Agora estamos com toda a documentação em mãos e prontos para partir.
On y va!!!


Wednesday, 26 November 2008

Horário de Trabalho

Uma das coisas que sempre me incomodou no Brasil foi a falta de limite das pessoas no que toca o horário de trabalho. As empresas não têm o menor respeito pelo nosso horário de descanso.

A sensação que tenho é de que o trabalho escravo ainda predomina no Brasil. E aqui no nordeste os empresários agem como se os empregados fossem propriedade das empresas.

Estou escrevendo sobre isso porque hoje recebi uma ligação no celular às 07:00h da manhã para resolver um problema de embarque que não fui eu que causei, que não poderia ser resolvido nesse horário e que certamente poderia esperar para ser comunicado após o início do expediente.

E casos como esse não são exceção. Isso se repete sempre quando um fornecedor tem um problema ou um cliente precisa de algo com urgência. As pessoas simplesmente não tem parâmetro. Pensam que só porque temos um celular a gente está disponível 24h por dia.

As vezes eu tenho a sensação de que apesar de não ser médico, eu trabalho num serviço de urgência hospitalar.

O mais interessante de tudo isso é que eu atendi o telefone na segunda ligação e enquanto eu falava no celular com o encarregado da expedição, a secretária da fábrica me ligou 5 vezes no celular e a auxiliar de vendas ligou no fone da minha casa, pois falar comigo era urgente.

Eu tô de saco cheio desse tipo de coisa e sinceramente espero que no Canadá as pessoas tenham um pouco mais de bom senso e respeito aos outros.

As pessoas com quem trabalho tem meu fone de casa para o caso de uma urgência. Tipo um acidente com um caminhão, roubo de mercadoria, incêndio na fábrica...mas não é pra ligar por qualquer bobagem que acontece. Essas coisas me tiram realmente do sério.

E como os vistos para o Canadá chegaram ontem e eu já estava com vontade de fazer isso a um bom tempo eu deixei clara a minha insatisfação com o comportamento de todos. Se acharem ruin, problema deles.

Até a próxima...


Tuesday, 25 November 2008

Nossos passaportes chegaram!!!!!!!!!!

O consulado postou os passaportes dia 21/11 e o carteiro acabou de entregá-los. E tá me dando um friozinho na barriga, já que agora é só arrumar as malas e embarcar para o Canadá no dia 21 de Janeiro.

Pena que não vai dar pra comemorar com a Sô, já que ela está em Porto Alegre. Mas já conversamos e estamos transbordando de felicidade.

Até apróxima!

Update da Sô: IUHUUUUUU!!! Pena não estar com o Fá, mas assim que eu voltar comemoraremos!!!


Friday, 21 November 2008

Sugestão de Courier para o Canadá

Estamos programando os detalhes de nossa ida para o Canadá e vamos deixar alguns objetos pessoais, como livros, para serem enviados posteriormente.

Se alguém que acompanha esse blog tiver alguma sugestão de courier para a remessa desse material por favor deixe um recado. Seriam caixas de cerca de 10 Kg cada.

Obrigado!


Monday, 17 November 2008

Decision Made

E os dados do site do CIC mudaram para o nosso processo e agora aparece o seguinte:

--------------------------------------
Permanent Residence

We started processing your application on June 2, 2008.

Medical results have been received.

A decision has been made on your application. The office will contact you concerning this decision.
--------------------------------------

Agora é aguardar a chegada dos passaportes com os vistos...


Saturday, 15 November 2008

Cães na piscina

Hoje foi dia de tomar banho de piscina com os cachorros...

Olha só a farra!!!




A espera pelos passaportes

Ainda não foi dessa vez que o carteiro deixou os nossos passaportes com os vistos por aqui. E mesmo sabendo que a entrega deve estar chegando, ainda fico ansioso para ter os vistos em mão.

É que para mim a emissão dos vistos encerra a etapa inicial do processo e inicia a etapa de preparação da viagem e chegada no Canadá.

Aí entram em campo outros aspectos da imigração, tais como: família, amigos, passagens, mudança, transporte dos cachorros, onde se instalar, câmbio e etc.

Dá pra escrever alguns posts sobre cada um desses pontos.:)

E quando penso que vamos resumir nossa vida material a 3 malas de 32Kg, eu vejo que o maior patrimônio que estamos levando para o Canadá é o nosso conhecimento.

Quando tomamos a decisão de imigrar no início de 2007 a gente não tinha noção do que o processo representava em termos de mudança.
Abrir mão de coisas concretas apostando em algo intangível não é fácil. Mas tem sido um exercício diário e interessante.

A contagem regressiva já começou.

Que venha o Canadá!!!


Thursday, 13 November 2008

Curtas...

Como fiquei com preguiça de ver a numeração da série Curtas, a partir de agora serão apenas "...".

Bom, faz tempo que não escrevo, então tentarei ser breve.

1) Pelanco - O Dino (nosso cão) achou o Pelanco (um passarinho "vira-lata") recém-nascido, caído do ninho, em estado quase vegetativo. Eu e meu sogro o adotamos e apostamos na sua recuperação. Para abreviar a história, ele sobreviveu, ficou bem gordinho, os pais biológicos o reencontraram e depois de uns 10 dias ele voou para descobrir o mundo. Ainda o vi na semana passada, mas depois disso nada! Boa Sorte para ele e que ele consiga sobriviver neste mundo.

2) Reflexões sobre o Pelanco - apesar de não termos filhos ainda, não pude deixar de comparar, a gente cria, alimenta, dá carinho, conforto e quando ele se acha capaz, vai voar por aí. E tudo isso em 10 dias. E tem pais que ainda reclamam que os filhos estão indo embora quando ficam adultos, depois de 20 anos... (Deixo registrado isso para eu ler daqui em 2030, quando meus filhos voarem, rs)

3) DELF - Esta semana fizemos a primeira parte da prova do DELF, pois uma das milhares de coisas que aprendemos no processo de imigração é que temos que ter o "papel". Fizemos algumas aulas de preparação para o teste para não sair tão ruim na foto. Amanhã faremos o segunda parte. Espero que consigamos passar.

4) Correios - na quinta-feira passada enviamos nossos passaportes para o Consulado, o problema é que na segunda-feira o status no site dos Correios estava: "saiu para a entrega" desde a sexta . Aí começou a preocupação, será que os Correios extraviaram nossos passaportes? Abrimos uma reclamação nos Correios, cinco dias para resposta. Ficamos pensando: "O que iremos fazer? Vai atrasar tudo, segunda via do passaporte, envia e-mail para o Consulado, visto dos EUA (que não tiramos cópia do passaporte)...ai, ai, ai..." Na terça enviamos um e-mail para o Consulado e eles responderam: "Seu passaporte está aqui desde ontem!" UFA!!! Agora é só esperarmos eles chegarem com os lindos vistos estampados...

5) Viagem para o RS - na próxima semana estarei viajando para o RS para começar temporada das despedidas. Moro aqui desde 93 e tenho família e amigos lá. Minha mãe resolveu ir comigo e acho que será muito legal. Não me lembro a última vez que passamos tanto tempo juntas. E o melhor de tudo, é que ela irá pagar tudo! Não é mãe? hahaha

6) Índia - desde que voltamos do Canada, quase todos os dias me questiono se estamos realmente no Brasil. Quando saímos na rua tenho a impressão que estamos na Índia! Carros, motos, bicicletas, buzinas, carroças, cavaloes, burros, carrinhos de CD pirata, gente de todos os lados, em todas direções....Acho que a Índia é aqui!

Fui...


Saturday, 8 November 2008

Casas no Canadá

Uma das coisas que achamos interessante no Canadá foram as construções de casa em madeira. Você tem a sensação de que está em uma casa de papel que custa mais de $ 300 mil.

Aqui vão algumas fotos que tiramos para ilustar o post.





Depois do acabamento não dá para perceber que as casas são de madeira, mas se a casa for geminada você vai saber dos hábitos do seu vizinho.

Tipo, quantas vezes ele vai ao banheiro, come, que horas acorda e até mesmo como funciona a sua vida íntima...

Privacidade mesmo, só morando numa casa isolada.

Para quem está acostumado com concreto a mudança é um pouco complicada. No final das contas, é apenas mais uma coisa que no Canadá é diferente.


Friday, 7 November 2008

Election Night Speech in Grant Park



Remarks of President-Elect Barack Obama
Election Night
Tuesday, November 4th, 2008 Chicago, Illinois

If there is anyone out there who still doubts that America is a place where all things are possible; who still wonders if the dream of our founders is alive in our time; who still questions the power of our democracy, tonight is your answer.

It’s the answer told by lines that stretched around schools and churches in numbers this nation has never seen; by people who waited three hours and four hours, many for the very first time in their lives, because they believed that this time must be different; that their voice could be that difference.

It’s the answer spoken by young and old, rich and poor, Democrat and Republican, black, white, Latino, Asian, Native American, gay, straight, disabled and not disabled – Americans who sent a message to the world that we have never been a collection of Red States and Blue States: we are, and always will be, the United States of America.

It’s the answer that led those who have been told for so long by so many to be cynical, and fearful, and doubtful of what we can achieve to put their hands on the arc of history and bend it once more toward the hope of a better day.

It’s been a long time coming, but tonight, because of what we did on this day, in this election, at this defining moment, change has come to America.

I just received a very gracious call from Senator McCain. He fought long and hard in this campaign, and he’s fought even longer and harder for the country he loves. He has endured sacrifices for America that most of us cannot begin to imagine, and we are better off for the service rendered by this brave and selfless leader. I congratulate him and Governor Palin for all they have achieved, and I look forward to working with them to renew this nation’s promise in the months ahead.

I want to thank my partner in this journey, a man who campaigned from his heart and spoke for the men and women he grew up with on the streets of Scranton and rode with on that train home to Delaware, the Vice President-elect of the United States, Joe Biden.

I would not be standing here tonight without the unyielding support of my best friend for the last sixteen years, the rock of our family and the love of my life, our nation’s next First Lady, Michelle Obama. Sasha and Malia, I love you both so much, and you have earned the new puppy that’s coming with us to the White House. And while she’s no longer with us, I know my grandmother is watching, along with the family that made me who I am. I miss them tonight, and know that my debt to them is beyond measure.

To my campaign manager David Plouffe, my chief strategist David Axelrod, and the best campaign team ever assembled in the history of politics – you made this happen, and I am forever grateful for what you’ve sacrificed to get it done.

But above all, I will never forget who this victory truly belongs to – it belongs to you.

I was never the likeliest candidate for this office. We didn’t start with much money or many endorsements. Our campaign was not hatched in the halls of Washington – it began in the backyards of Des Moines and the living rooms of Concord and the front porches of Charleston.

It was built by working men and women who dug into what little savings they had to give five dollars and ten dollars and twenty dollars to this cause. It grew strength from the young people who rejected the myth of their generation’s apathy; who left their homes and their families for jobs that offered little pay and less sleep; from the not-so-young people who braved the bitter cold and scorching heat to knock on the doors of perfect strangers; from the millions of Americans who volunteered, and organized, and proved that more than two centuries later, a government of the people, by the people and for the people has not perished from this Earth. This is your victory.

I know you didn’t do this just to win an election and I know you didn’t do it for me. You did it because you understand the enormity of the task that lies ahead. For even as we celebrate tonight, we know the challenges that tomorrow will bring are the greatest of our lifetime – two wars, a planet in peril, the worst financial crisis in a century. Even as we stand here tonight, we know there are brave Americans waking up in the deserts of Iraq and the mountains of Afghanistan to risk their lives for us. There are mothers and fathers who will lie awake after their children fall asleep and wonder how they’ll make the mortgage, or pay their doctor’s bills, or save enough for college. There is new energy to harness and new jobs to be created; new schools to build and threats to meet and alliances to repair.

The road ahead will be long. Our climb will be steep. We may not get there in one year or even one term, but America – I have never been more hopeful than I am tonight that we will get there. I promise you – we as a people will get there.

There will be setbacks and false starts. There are many who won’t agree with every decision or policy I make as President, and we know that government can’t solve every problem. But I will always be honest with you about the challenges we face. I will listen to you, especially when we disagree. And above all, I will ask you join in the work of remaking this nation the only way it’s been done in America for two-hundred and twenty-one years – block by block, brick by brick, calloused hand by calloused hand.

What began twenty-one months ago in the depths of winter must not end on this autumn night. This victory alone is not the change we seek – it is only the chance for us to make that change. And that cannot happen if we go back to the way things were. It cannot happen without you.

So let us summon a new spirit of patriotism; of service and responsibility where each of us resolves to pitch in and work harder and look after not only ourselves, but each other. Let us remember that if this financial crisis taught us anything, it’s that we cannot have a thriving Wall Street while Main Street suffers – in this country, we rise or fall as one nation; as one people.

Let us resist the temptation to fall back on the same partisanship and pettiness and immaturity that has poisoned our politics for so long. Let us remember that it was a man from this state who first carried the banner of the Republican Party to the White House – a party founded on the values of self-reliance, individual liberty, and national unity. Those are values we all share, and while the Democratic Party has won a great victory tonight, we do so with a measure of humility and determination to heal the divides that have held back our progress. As Lincoln said to a nation far more divided than ours, “We are not enemies, but friends…though passion may have strained it must not break our bonds of affection.” And to those Americans whose support I have yet to earn – I may not have won your vote, but I hear your voices, I need your help, and I will be your President too.

And to all those watching tonight from beyond our shores, from parliaments and palaces to those who are huddled around radios in the forgotten corners of our world – our stories are singular, but our destiny is shared, and a new dawn of American leadership is at hand. To those who would tear this world down – we will defeat you. To those who seek peace and security – we support you. And to all those who have wondered if America’s beacon still burns as bright – tonight we proved once more that the true strength of our nation comes not from our the might of our arms or the scale of our wealth, but from the enduring power of our ideals: democracy, liberty, opportunity, and unyielding hope.

For that is the true genius of America – that America can change. Our union can be perfected. And what we have already achieved gives us hope for what we can and must achieve tomorrow.

This election had many firsts and many stories that will be told for generations. But one that’s on my mind tonight is about a woman who cast her ballot in Atlanta. She’s a lot like the millions of others who stood in line to make their voice heard in this election except for one thing – Ann Nixon Cooper is 106 years old.

She was born just a generation past slavery; a time when there were no cars on the road or planes in the sky; when someone like her couldn’t vote for two reasons – because she was a woman and because of the color of her skin.

And tonight, I think about all that she’s seen throughout her century in America – the heartache and the hope; the struggle and the progress; the times we were told that we can’t, and the people who pressed on with that American creed: Yes we can.

At a time when women’s voices were silenced and their hopes dismissed, she lived to see them stand up and speak out and reach for the ballot. Yes we can.

When there was despair in the dust bowl and depression across the land, she saw a nation conquer fear itself with a New Deal, new jobs and a new sense of common purpose. Yes we can.

When the bombs fell on our harbor and tyranny threatened the world, she was there to witness a generation rise to greatness and a democracy was saved. Yes we can.

She was there for the buses in Montgomery, the hoses in Birmingham, a bridge in Selma, and a preacher from Atlanta who told a people that “We Shall Overcome.” Yes we can.

A man touched down on the moon, a wall came down in Berlin, a world was connected by our own science and imagination. And this year, in this election, she touched her finger to a screen, and cast her vote, because after 106 years in America, through the best of times and the darkest of hours, she knows how America can change. Yes we can.

America, we have come so far. We have seen so much. But there is so much more to do. So tonight, let us ask ourselves – if our children should live to see the next century; if my daughters should be so lucky to live as long as Ann Nixon Cooper, what change will they see? What progress will we have made?

This is our chance to answer that call. This is our moment. This is our time – to put our people back to work and open doors of opportunity for our kids; to restore prosperity and promote the cause of peace; to reclaim the American Dream and reaffirm that fundamental truth – that out of many, we are one; that while we breathe, we hope, and where we are met with cynicism, and doubt, and those who tell us that we can’t, we will respond with that timeless creed that sums up the spirit of a people:

Yes We Can. Thank you, God bless you, and may God Bless the United States of America.


Thursday, 6 November 2008

TAM - Voando com milhas para o Canadá

Para quem tem interesse em utilizar milhas para ir para o Canadá o programa de milhagem da TAM funciona em parceria com a United Airlines.


Baixa Temporada - 40.000 milhas
De 16/08 à 30/11
De 15/03 à 31/05

Alta Temporada - 60.000 milhas
De 01/12 à 14/03
De 01/06 à 15/08


E o dia terminou melhor ainda...Cadê o anjinho do Botafogo?



Diz minha mãe que a verdade sempre aparece. Pois bem, para quem achava que o cara era uma vítima dos Aflitos ontem à noite a verdade apareceu.

Foi culpa de quem? Da PM de Pernambuco e da estrutura estádio do estádio dos Aflitos? De nenhum dos dois, pois o destempero foi no Engenhão e contra um time argentino.

Em defesa do André Luis eu diria apenas que não é fácil trabalhar sem receber salário. Eu entendo o descontrole dele e o Bebeto deveria parar de invadir os gramados e pagar o salário dos jogadores.

Espero que dessa vez ele passe ao menos uns 6 meses na geladeira. A verdade pode demorar, mas um dia ela aparece.

Pelo menos hoje o futebol brasileiro está sendo comentado no cenário internacional.

Saudações alvirubras...

Comentário da Sô: O mais engraçado disso tudo foi a cara do argentino que estava ao lado do juíz.


Wednesday, 5 November 2008

Que dia bom...

Hoje é um daqueles dias em que tudo dá certo. Pagamos a última taxa de nosso processo de imigração, enviamos nossos passaportes para o Consulado, resolvemos uma pendência do fechamento de nossa loja e Obama foi eleito presidente dos EUA. Não poderia ser melhor e mais completo.

Hoje é um daqueles dias em que eu tenho prazer em estar vivo...

E para celebrar, um pouco de música. Uma gravação que Lily Allen fez de uma música do Keane no Festival War Child.

Abaixo do vídeo está a letra da música. Eu particularmente apreciei mais a música na voz dela...





Everybody's Changing
Artist: Keane

You say you wander your own land
But when I think about it
I don't see how you can

You're aching, you're breaking
And I can see the pain in your eyes
Since everybody's changing
And I don't know why.

So little time
Try to understand that I'm
Trying to make a move just to stay in the game
I try to stay awake and remember my name
But everybody's changing
And I don't feel the same.

You're gone from here
Soon you will disappear
Fading into beautiful light
'cause everybody's changing
And I don't feel right.

So little time
Try to understand that I'm
Trying to make a move just to stay in the game
I try to stay awake and remember my name
But everybody's changing
And I don't feel the same.

So little time
Try to understand that I'm
Trying to make a move just to stay in the game
I try to stay awake and remember my name
But everybody's changing
And I don't feel the same.

Ooo...
Everybody's changing
And I don't feel the same.


Tuesday, 4 November 2008

A novidade para alegrar o dia!

Depois de uma tarde estressante, cheguei em casa, foi jogar bolinha para os cães e quando cansamos fui procurar saber das correspondências do dia.

Primeiro olhei na caixinha do Correio, nada! (Ontem já não tinha chegado nada). Mas como ainda sou brasileira e não desisto nunca (rs), imaginei... pode estar no escritório na nossa mesa...acendi a luz e.... lá estavam dois envelopes de papel reciclado: um grandão com o simbolo do Québec que era minha Évaluation comparative des études effectuées hors du Québec (que eu já estava preocupada que ainda não tinha chegado, pois a do Fá já tinha chegado há 15 dias) e o outro, um envelopinho pequenininho, mas MUITO IMPORTANTE com a famosa cartinha do PEDIDO DOS PASSAPORTES e as etiquetas para colarmos neles.

A novidade que veio para alegrar o dia!!! Agora falta bem pouquinho....


Saturday, 1 November 2008

Eleições dos EUA

Para quem está preocupado com a crise financeira as eleições dos EUA são fundamentais para a definição do que será o futuro. Nesse fim de semana o jornal LE DEVOIR apresenta a matéria abaixo que copiei um trecho aqui para leitura.

Acho que vale a pena...

+++++++++++++++++++++++++++++++

Le Devoir
À 72 heures du 4
Guy Taillefer
Édition du samedi 01 et du dimanche 02 novembre 2008


Pour Obama, le temps est venu de concrétiser dans l'urne sa solide avance dans les sondages

«Ça va jouer dur», a prévenu Barack Obama devant ses militants à Columbia, au Missouri. Tout est à la guerre de terrain, à 72 heures de la présidentielle de mardi prochain, les discours politiques prennent inévitablement fin sur un appel aux millions de bénévoles à faire «sortir le vote». «N'allez pas penser une seconde que cette élection est terminée.»

Obama sera-t-il le premier Noir à devenir président des États-Unis? «Qu'il perde, et l'aile progressiste du Parti démocrate ne s'en remettra pas avant longtemps», affirme David Mendell, journaliste au Chicago Tribune et auteur de Barack Obama: From Promise to Power, publié fin 2007. Les sondages continuent de donner une avance substantielle au sénateur de l'Illinois à l'échelle nationale (51 % contre 40 % pour John McCain, selon la dernière enquête New York Times/CBS), mais ils indiquaient hier un resserrement des intentions de vote dans plusieurs «swing states», ce qui n'est pas un phénomène inhabituel en fin de campagne. Ainsi, les deux hommes sont à égalité dans les États clés du Missouri et de la Caroline du Nord, assez facilement remportés par George W. Bush en 2004.


Friday, 31 October 2008

Política de Imigração

Nos últimos dias nós acompanhamos uma discussão e alguns comentários de amigos sobre um texto publicado no jornal Metro por um senhor chamado James Bisset.

No texto ele aborda algumas questões sobre a imigração que são tratadas de uma forma superficial e vazia.

As políticas de imigração são traçadas com metas de longo prazo e qualquer pessoa que tenha o mínimo de capacidade de reflexão chegará a conclusão de que uma recessão de 1 ou 2 anos não justifica a mudança dessas políticas.

Isso não quer dizer que não haverá crise, pois isso ninguém discute, mas uma recessão não significa que o mundo vai acabar e não deve ser usada para justificar preconceitos ou protecionismos.

Digo isso, pois na minha visão o autor demonstra claramente suas tendências protecionistas e xenófobas. E para justificá-las, se esconde atrás da crise.

Pessoas como ele utilizam o medo para ter poder. Trata-se da mesma linha de controle que foi utilizada por alguns dos movimentos mais perigosos da história da humanidade.

Vocês podem observar que o autor chega a citar um estudo efetuado por um professor da renomada Simon Fraser University como exemplo para as suas posições, mas em nenhum momento cita onde a pesquisa está disponível para consulta, qual foi a sua finalidade e nem os parâmetros em que foi realizada.

Vamos refletir um pouco sobre essa pesquisa...

Como vocês acham que o pesquisador teve acesso aos impostos pagos por TODOS os imigrantes canadenses entre os anos de 1990 e 2002? Vocês acham que a receita do Canadá passou isso para ele? Algo me diz que esses dados não estão completos e podem ter sido estimados.

E ainda que os dados estejam corretos, quantos empregos diretos e indiretos são gerados pela imigração? Em cursos profissionalizantes, cursos de línguas, cursos de revalidação...

E as tarifas que pagamos durante o processo?

Será que o impacto dos imigrantes empresários que em seus negócios geram empregos e contribuem com o crescimento do país foi considerado pelo autor?

E todos os anos em que estudamos em nossos paises e chegamos no Canadá formados sem que eles tenham gasto um só dólar na nossa formação? Isso não deve ser ponderado?

Eu sinceramente gostaria de ler textos escritos por canadenses que falassem da necessidade de integrar melhor os imigrantes. Textos que abordassem o corporativismo de algumas ordens profissionais que tornam a revalidação de nossos estudos praticamente impossível.

Textos que falem do absurdo que é a situação da saúde pública no Canadá que não aceita a maioria dos diplomas de outros países e ao mesmo tempo não faz nada para formar mais médicos.

E por que não há vagas nas garderies públicas? Como pode um imigrante procurar emprego se tiver que pagar $ 30,00 por dia em uma garderie privada.

Por que a espera pela francisão chega a até 6 meses? Quem paga as despesas durante esse período de espera?

Eu apenas acho que é isso que deve ser discutido.


Saturday, 25 October 2008

E os exames médicos chegaram em Trinidad e Tobago

Acabei de checar no site do DHL e os nossos exames foram enregas pela DHL ontem às 11:22h no horário local.

Agora é só esperar chegar o pedido dos passaportes...

Update da Sô: IUHUUUUU!!!!


Friday, 24 October 2008

Saturday Night Live

Para quem quiser dar umas boas risadas com as eleições dos EUA vale a pena checar o site do programa Saturday Night Live da NBC.

Dá para dar umas boas risadas como no episódio abaixo.



É muito engraçado mesmo...


Wednesday, 22 October 2008

Crise Financeira - Vamos ver a Banda Passar

E por aqui na terrinha os bancos estão especulando com a cotação do dólar e fazendo uma gangorra sem limites. As reservas em dólar das principais instituições financeiras brasileiras não param de subir e isso tudo está sendo feito com o dinheiro que o Banco Central liberou para ser emprestado para nossos exportadores.

Mas os bancos não emprestam para os exportadores e a cotação não para de subir, ferrando ainda mais as nossas empresas que têm financiamentos no exterior.

E ainda tem gente que acha que o mercado deve funcionar livremente.

E nós, futuros imigrantes, temos que mudar nosso planejamento a cada dia. Meus fios de cabelo estão indo embora e isso tudo só me dá mais vontade de sair desse país.

Aqui, a lei do Gerson é venerada e aplicada até no mercado financeiro onde os Bancos estão ferrando empresas sérias como a Votorantim por pura especulação no câmbio.

É muita gente querendo tirar vantagem de tudo.

Enquanto isso o Banco Central assisti a banda passar...


Friday, 17 October 2008

Envio de Exames Médicos

Hoje pegamos os nossos exames no laboratório e deixamos no consultório do médico. As tarifas pagas foram R$ 250,00 pela consulta de cada um e mais R$ 200,00 de custas de remessa. A "brincadeira" toda custou R$ 700,00.

É mais uma despesa alta do processo de imigração e particularmente eu acho que o valor de R$ 250,00 por uma consulta médica é um absurdo. Principalmente para quem já paga isso por mês em um seguro saúde privado. Mas como não existe outra opção, pagamos.

Agora é aguardar que o médico venha trabalhar na segunda e envie a documentação na terça-feira.

Ps: Acho que hoje, sexta-feira, o médico foi gastar o dinheiro que pagamos na consulta. :(


Wednesday, 15 October 2008

Canada's Elections

Texto copiado integralmente da revista The Economist.

+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

No change for Canada
Oct 15th 2008 OTTAWA
From The Economist print edition
Stephen Harper’s Conservatives will form another minority government

IT IS an emphatic victory, even if the ruling party has failed, again, to secure a majority in parliament. Results from the general election held on Tuesday October 14th suggest that the Conservatives, led by Stephen Harper, have secured 143 of the 308 seats in the House of Commons, a gain of 16 seats. The Liberal Party, led by Stéphane Dion, has suffered a serious defeat, picking up just 76 seats.

Not everything has gone to plan for Mr Harper. Conventional wisdom in Canada suggests that no party can form a majority government without a strong showing in the French-speaking province of Quebec. His assiduous courting of Quebeckers since he took office in January 2006 produced no results. He learned to speak French passably, declared them a nation and gave the province a special seat at international gatherings. Despite those efforts, the big gains he envisaged did not materialise.

In early September, when Mr Harper called the election, opinion polls suggested that a victory and a majority were within reach. But he alienated Quebec voters and ceded valuable ground to the separatist Bloc Québécois with cuts to cultural programmes that were popular in that province and with his plans to send criminal offenders as young as 14 to prison. His seeming insensitivity to public anxieties over the global financial crisis (he commented more than once that the vertiginous drop in the stockmarket presented some good buying opportunities) undermined his popularity nationally.

The bigger loser on election night was Mr Dion, who staked the Liberals’ hopes on a green platform that featured a carbon tax. That was gleefully seized on by the Tories as a tax increase that would harm the economy at a time of global uncertainty. The Liberals managed to hold their own in Quebec, but lost support in their former stronghold of Ontario. Mr Dion probably intends to stay on as leader, but grumbling party stalwarts may try to jettison him at a convention in May when he must face a leadership review. The two leading contenders for his crown, Michael Ignatieff and Bob Rae, both won re-election handily and are waiting in the wings.

Mr Harper, in calling an election, ignored his own law requiring a fixed vote every four years. That decision, and the result, may yet spur opposition parties to unite against the Conservatives. Leaders of the left-leaning parties—the Liberals, the New Democratic Party, and the Green Party (which failed to elect a candidate)—have hinted at forming a coalition in future. Mr Harper has also limited his options for making concessions to Quebec. These were never popular with his core supporters in the western province of Alberta, but were grudgingly accepted as necessary to secure a firm majority

The world too has moved on. Mr Harper no longer has a robust economy to steer: he must deal with much weaker growth and the inevitable repercussions of the global economic and financial tumult. He will also have to handle a new administration and Congress in the United States, Canada’s most important trading partner. New challenges may arise in the form of energy, trade and environment policies. Should Barack Obama win, he is expected to call for a review of the North American Free Trade Agreement, on which Canada depends. These are tricky matters, especially for a minority government in a rancorous and partisan parliament.

Some pundits are predicting that the new government will not last long. For weary Canadians, who have now voted three times in less than five years, the prospect of another election would be unwelcome. The only consolation is that tight restrictions on both political contributions and spending mean that general elections cost a pittance compared with those next door.


Monday, 13 October 2008

E chegou nosso pedido de exame!!

Estavamos saindo de casa para dar uma caminhada, quando vimos o carteiro chegando em nossa casa com algumas correspondências e entre elas um envelope grande de papel reciclado.

Quando vimos que era do Consulado: festa geral!!!! Já marcamos nosso exame para amanhã.

Agora falta bem pouquinho... uiuiui!

Até a próxima!


Friday, 10 October 2008

Crise Financeira

Uma coisa que me tira o sono atualmente é a crise financeira mundial e a forma como todas as pessoas, entidades e Governos têm lidado com esse problema made in USA.

Durante muitos anos os americanos e especuladores mundiais globalizados fizeram fortuna sem produzir um único produto. Nem mesmo uma folha de papel. Sem ter a menor idéia do que é uma cadeia produtiva, depreciação, relações de trabalho ou o dia-à-dia de um empresa do mundo real.

Tudo em nome de alavancar as operações e rentabilizar carteiras de fundos de Private Equities.

E essa farra foi feita com dinheiro fácil em cima da promessa de que o mecado iria sempre subir. E essa promessa se tornou uma crença e todos acreditavam que iriam sempre ganhar no mercado financeiro.

Durante os últimos anos, o poder econômico passou dos Governos para as Agências de Ratings, e essas agências detêm o poder de decidir o futuro de grandes corporações como a General Motors, que ontem teve seu rating rebaixado e suas ações despencaram para o patamar mais baixo desde 1950.

Isso mesmo amigos, 1950! E quem paga essa conta? Quem é que vai dar emprego para os funcionários da GM no futuro? A Agência de Riso? Ou os Bancos de Investimentos dos EUA que recentemente quebraram na emenda?

Mas foram os Bancos que quebraram. E assim como no Brasil, seus ex-diretores continuam ricos e vão muito bem obrigado. Até agora eu não ouvi ninguém falar em processar os executivos dos Bancos.

E o mais engraçado de tudo é ouvir da boca de alguns americanos que o Governo deve intervir no mercado e fazer investimentos diretos nos bancos. Parece que o mundo enlouqueceu...

Cadê os liberais e as regras do mercado livre? Estão estatizando o mercado financeiro?

Assim como a sociedade precisa de boas regras de comportamento social, o mercado financeiro precisa de regras e limites de funcionamento. Caso contrário, vira o que estamos vendo atualmente.

Eu sinceramente espero que para o mercado fique a lição de que experiência e prudência são sempre bons requisitos para qualquer atividade. Se você não dá sua empresa para um gestor inconsequente administrar, adote o mesmo princípio para o seu dinheiro.

Eu tenho visto vários operadores do mercado dizendo que os investidores não devem sair da bolsa, mas pessoalmente eu duvido muito que o dinheiro deles esteja lá.

Eu tinha um pouco de dinheiro em fundo de ações e já tirei de lá quando a coisa apertou. Realizei o prejuizo e agora estou em renda fixa. Se eu tivesse permanecido na bolsa eu já teria perdido mais.

Mas eu creio que prejuízo também se deve realizar. Infelizmente, a maioria das pessoas só realiza lucros. Mas isso é pessoal.

Eu ainda acho que as Bolsas vão continuar caindo e que ainda é hora de realizar os prejuízos evitando maiores perdas. É o chamado Stop Loss. E esse conceito existe para isso.

À la prochaine...


Tuesday, 7 October 2008

O dólar e o mercado financeiro - Coisas que não dependem da gente

Uma das coisas que fazemos com regularidade é planejar a nossa vida financeira. Principalmente desde que decidimos imigrar para o Canadá.

Já nos desfizemos da maioria das coisas que tínhamos para vender e passamos nossa reserva para aplicações em renda fixa. Tudo isso foi planejado e feito sem pressa a medida que o processo de imigração foi andando.

Mas como sempre, na vida existem fatores que não dependem da gente e nesse caso específico a cotação do dólar acaba de nos dar uma cacetada na cabeça.

Nesse exato momento a moeda dos EUA está sendo negociada a exatos R$ 2,26 no câmbio comercial.

Acho que é desnecessário dizer o impacto que isso tem na vida de quem planejou a imigração em cima de uma taxa de câmbio de R$ 1,80.

Nesses momentos a gente se pergunta se podia ter feito alguma coisa para evitar esse problema, mas nesse caso em particular a pancada foi recebida sem que a gente soubesse de onde ela veio.

Paciência e bola pra frente...

Ps: E o dólar fechou a R$ 2,31


Sunday, 5 October 2008

PlayStation Portable - Meu "ex-brinquedo"


Antes de voltarmos do Canadá eu me dei de presente um jogo eletrônico para ajudar a passar o tempo ao retornar ao Brasil. Afinal de contas, esperar é o que todo futuro imigrante sabe fazer de melhor.

Fui na Best Buy e na Future Shop e gostei do PlayStation Portable. Decisão tomada, comprei um modelo que veio com um joguinho da NFL. Como os jogos são mais baratos no Canadá, a Sô escolheu outros dois jogos.

O problema é que passados quase 40 dias da compra eu ainda não consegui nem me aproximar do PSP. A Sô está verdadeiramente tomada pelo meu "ex-presente". Acho que só vou conseguir jogar no ano que vem quando eu voltar para o Canadá e comprar outro PSP.:)

Fazer o que? Pelo menos esse eletrônico já valeu o investimento e não será um "gadget" que vai ficar encostado. O que não significa que eu vou usá-lo...

Enfim, agora vou sair para cumprir com meu dever de cidadão e votar nas eleições municipais.

Para quem não sabe, no Brasil a democracia obriga as pessoas a votar...


Thursday, 2 October 2008

Cotação do Dólar

E por aqui o sistema financeiro continua especulando e brincando com a vida de todos. Segue artigo comentando os acontecimentos por aqui...

++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

Análise: Superávit cambial desativa pânico

Luiz Sérgio Guimarães - Valor Econômico

SÃO PAULO - A balança cambial de setembro mostra que a decolagem do dólar no mercado interno foi forjada pela especulação, já que não houve saída líquida de recursos do país.

A moeda disparou 16,45% no mês passado, engordando os caixas dos "comprados" à vista (bancos nacionais) e "comprados" no futuro ("hedge funds" estrangeiros).

Nem a temida contração do crédito externo, nem uma suposta debandada de investidores estrangeiros em busca de refúgios seguros pode ser invocada para justificar a alta diante dos números divulgados ontem pelo Banco Central. Eles ainda são parciais, mas se referem à maior parte de setembro e englobam o período crítico da turbulência mais recente, desencadeada no dia 16 pelo colapso do banco americano Lehman Brothers.

O fluxo cambial até o dia 26 foi superavitário em US$ 2,75 bilhões. O déficit financeiro de US$ 3,51 bilhões foi amplamente coberto pelo saldo comercial de US$ 6,26 bilhões. "Não está faltando dólares no mercado de câmbio brasileiro. A taxa está subindo por causa do cassino. Alguém precisa dizer para o presidente Lula que não é só lá nos EUA que tem cassino, aqui também temos e pelo jeito tem muita gente no vermelho", diz o economista Sidney Nehme, diretor da NGO Câmbio.

A saída de dólares do país nos primeiros 20 dias úteis do mês passado foi de fato impressionante - US$ 30,95 bilhões -, mas as entradas, de US$ 27,442 bilhões, não decepcionaram. A face comercial persistiu desativando a tecla do pânico. Os exportadores, não obstante as alegações de falta de linhas, fecharam contratos no valor de US$ 17,55 bilhões, enquanto os importadores se satisfizeram com US$ 11,295 bilhões.

Enquanto isso, bancos e investidores estrangeiros ampliavam suas posições "compradas" (aposta de alta do dólar, muito bem-sucedida em setembro). O capital estrangeiro encerrou o mês "comprado" liquidamente entre os pregões de dólar futuro e cupom cambial em US$ 6,185 bilhões. Qual a posição no primeiro dia de setembro? "Vendida" em US$ 3,05 bilhões.

O fluxo desmente contágio capaz de exigir medidas anticrise por parte do governo brasileiro. Ele desautoriza elevações de juros em linhas de crédito. E dissipa os temores relacionados a pressões cambiais sobre a inflação que exigiriam prontas respostas altistas da política monetária.

E se forem olhadas as reservas internacionais brasileiras nesse momento caracterizado pelo ápice (até agora) da tormenta externa? Elas subiram de US$ 205,12 bilhões no último dia de agosto para US$ 206,49 bilhões no último de setembro.

Se o fluxo cambial - a contabilidade de tudo que entra e sai do país - está superavitário e as reservas cresceram, que crise é essa? Pode ser a pior desde a de 1930, mas por enquanto não justifica tecnicamente a valorização registrada pelo dólar em setembro. Outubro não começou de maneira diferente. Ontem, a moeda subiu 1,10%, cotada a R$ 1,9250.

Como a contaminação cambial inexiste, os juros futuros podem estar caindo pelo motivo errado. No mercado interbancário de reais, pode estar havendo um empoçamento de liquidez, destinado a forçar o BC a reduzir ainda mais as alíquotas dos compulsórios bancários, muitas vezes confundido com uma contração geral do crédito capaz de desaquecer a demanda e levar o Copom a iniciar logo o ciclo de declínio da taxa Selic.

Mas como o fundamento é frágil - fuga de capital e retração de linhas externas, dois fatores não confirmados pelo fluxo cambial -, a tendência declinante pode ser revertida com a mesma rapidez. O CDI para a virada do ano caiu 0,03 ponto, para 13,98%, enquanto o contrato mais negociado, para janeiro de 2010, recuou 0,10 ponto, para 14,37%.

O Brasil parece menos afetado pela aversão global a risco que eleva os preços dos títulos do Tesouro americano e derruba as taxas. Ontem, o juro do papel de dez anos recuou de 3,8234% para 3,7401%, enquanto o de cinco anos cedeu de 2,9759% para 2,8580%.

O dia mesclou indicadores positivos sobre o lado real da economia americana e um bem negativo. Este foi o ISM (Institute for Supply Management) relativo ao setor manufatureiro em setembro. A projeção dos analistas era de um índice de 49,5, mas ele registrou pesada contração a 43,5 pontos, o pior desde outubro de 2001.

Os outros dois vieram não tão ruins. O mercado de trabalho mostra-se melhor do que o esperado pelos analistas. Pelo dado semanal da Automatic Data Processing (ADP) 8 mil vagas foram extintas, quando se projetava diminuição de 53 mil. E os gastos com construção ficaram estáveis em agosto. As estimativas dos economistas eram de uma redução de 0,50%.


Monday, 29 September 2008

O endereço

Desde que voltamos, comecei olhando duas vezes por semana no sistema do CIC se havia mudado alguma coisa no status do nosso processo. Depois isso foi aumentando e desde a semana passada eu já estava olhando duas vezes por dia! :)

Apesar de saber que quando o endereço aparece no sistema do CIC pode não dizer muita coisa, a gente fica olhando, né?

E agora, finalmente o endereço APARECEU!!! Pelo menos alguma coisa acontece, quem sabe o famoso pedido de exame chega antes do esperado...


Sunday, 28 September 2008

Crise dos EUA. O que é mesmo Economia de Mercado?

Eu sei que o nosso espaço aqui deve ser usado para falar do nosso processo de imigração, mas diante dessa crise do mercado financeiro eu não posso ficar sem ironizar a "liberdade de mercado dos EUA."

Lá a liberdade funciona de uma forma que se as empresas derem lucro essa parte fica com os acionistas e se der prejuízo o Governo paga a conta.

Isso tudo seria muito engraçado se não fosse trágico. O modelo econômico norte americano é tão frágil quanto as finanças de uma pessoa que vai sempre se envididando para poder continuar comprando.

E o que acontece nesse ponto? Surge a crise financeira atual do mercado hipotecário. E isso sempre acontece, pois nenhum mercado sobe ou desce sempre.

Agora os EUA querem que o mundo, que durante vários anos deu dinheiro para eles consumirem, pague a conta da falta de seriedade das suas instituições bancárias.

Sem comentários.

E ainda tem agência de classificação de risco e comentaristas econômicos que dizem que investir em papéis do Governo dos EUA é seguro. Colocando isso em termos práticos, você emprestaria dinheiro para alguém que deve a todo mundo e não tem condições de pagar a dívida?

Pois essa é a situação econômica dos EUA.

Update da Sô: Vi essa charge na semana passada e ela é uma ótima ilustração para o post do Fá.


Fonte: TV5.org


Saturday, 27 September 2008

Canadá - Empregabilidade e Estatísticas

Uma das coisas que mais me preocupa no processo de imigração é a inserção no mercado de trabalho. Por isso de vez em quando eu dou olhada nos números da economia das províncias canadenses e fico especulando sobre o melhor local para recomeçar...

Também leio alguns Blogs e tento buscar informações sobre a inserção do imigrante mercado de trabalho, mas para esse tipo de análise eu confio sempre nas estatísticas oficiais dos Governo.

No Canadá o orgão responsável por essas informações é o Statistics Canada e lá a gente pode encontrar todo tipo de informação sobre o país. A linguagem de alguns textos é um pouco formal, mas uma passada por lá vale a pena.

É óbvio que a escolha da cidade não se baseia apenas em números, mas se a taxa de desemprego é muito menor em alguma província, porque não considerá-la como destino?

Para ajudar na reflexão, aqui vão as taxas de desmprego de algumas províncias canadenses para o ano de 2007:

Alberta - 3,5%
British Columbia - 4,2%
Ontario - 6,4%
Quebec - 7,2%

E o que esses números querem dizer? Para mim esses números mostram que a chance de estar empregado é duas vezes maior em Alberta do que no Québec.

Simples assim? Não. É claro que a comparação entre duas províncias tão distintas não pode ser tão simples. Os sistemas de saúde, educação, idiomas e costumes também devem ser levados em consideração.

Mas fazendo uma analogia com o futebol, se você é daqueles que preferem o futebol de resultado de seleção brasileira campeã do mundo de 1994 ao futebol arte da seleção brasileira de 1982, certamente a sua escolha não será pelo Québec. Ou será?

Mais uma vez chegamos ao pontos em que a decisão se torna pessoal...

De todas as formas visitem o site e consultem as informações que acharem interessantes. Isso pode ajudar bastante durante o processo decisório e não custa nada confiar um pouco em informações oficiais.

Até a próxima...


Tuesday, 23 September 2008

Canadá - Minha opinião sobre imigração e a matéria da Globo

Desde que eu vi esssa reportagem da Globo eu tô com vontade de fazer uma postagem, mas meu lado bom tem me dito que eu devo ficar quieto e deixar que cada um fale o que quiser.

Mas como eu sou meio tolerância zero com algumas coisas, resolvi fazer esse post com a MINHA opinião sobre alguns pontos que considero negligenciados por algumas pessoas que pensam em imigrar.

Vamos lá...

1. Se sua profissão é regulamentada o processo de revalidação vai ser caro, demorado e desgastante. Mas você precisa saber que é assim que as coisas funcionam por lá. Não adianta depois ficar dizendo que os canadenses não reconhecem nossos estudos e experiência profissional, pois isso é uma desculpa de gente incompetente que não se deu ao trabalho de pesquisar como as coisas funcionam no Canadá.

2. Se você acha absurdo ganhar menos que um canadense que faz o mesmo trabalho que você, esteja você ciente de que todas as pesquisas apontam que os imigrantes ganham 1/3 a menos que os canadenses que desempenham funções similares. Essa diferença desaparece depois de cerca de 10 anos de experiência de trabalho canadense.

3. Se você é mimado, nunca limpou uma casa, lavou roupa, fez supermercado e sempre teve um médico a disposição para lhe atender no dia em que você teve uma leve indisposição, esteja você ciente de que o sistema de saúde canadense é público, e consequentemente pior do que o privado brasileiro, e que quem vai desempenhar as atividades acima é você.

4. Se você é alguém que adora ser bajulado e precisa ser chamado de doutor, saiba que no Canadá as pessoas são iguais e têm os mesmos direitos. No Canadá a discriminação é crime e isso é levado à sério. Claro que existem exceções, mas a regra é o respeito as individualidades.

5. Se toda vez que você pensa em imigrar você fica inseguro de se desfazer do que construiu no Brasil e chora só de pensar na distância da família, pode ser que a imigração não seja para você. Dificilmente você se recolocará no Canadá no mesmo nível social que você tem no Brasil e você estará há muitas horas de distância da sua família.

6. Se você não está pronto para dar alguns passos para trás e começar sua vida profissional canadense do mesmo ponto em que você começou no Brasil há 10 ou 15 anos atrás, você pode ter sérios problemas para se recolocar no mercado de trabalho. Em português claro, você está disposto a voltar a ser estagiário ou trainee?

7. Se você é um profissional que no Brasil nunca conseguiu ter sucesso e destaque, o fato de se mudar para o Canadá não vai mudar a sua competência. Lá, você continuará sendo um profissional sem destaque.

8. Se você acha que seu inglês de “Cultura Inglesa” e seu francês de “Aliança Francesa” são suficientes para viver no Canadá, é bom repensar os seus parâmetros. Ter fluência na(s) língua(s) não é estar no nível avançado dos cursinhos daqui. E falar o idioma local é o mínimo para conseguir espaço no mercado de trabalho.

No mais, eu acho que todas as experiências são individuais e não podem ser generalizadas. Se não deu certo para a “senhora” da Globo, paciência.

Eu tenho alguns amigos no Brasil que são profissionais extremamente qualificados e que já estiveram em cargos executivos de destaque em empresas multinacionais. Esses amigos perderam seus empregos em momentos de crise e tentaram se recolocar no mercado de trabalho.

Eles se decepcionaram com o mercado de trabalho brasileiro que os considerou velhos, apesar deles terem menos de 35 anos de idade. Sem opção, eles resolveram estudar para concursos e hoje são funcionários públicos concursados.

A vida é sempre assim. Existem sempre lados positivos e lados negativos. O importante é refletir sobre o que cada um quer da vida. O Canadá não é perfeito. As coisas são difíceis para quem muda de país e a gente precisa estar ciente disso.

Mas mesmo com todas as dificuldades, tenho certeza de que a vida será bem melhor no Canadá.

Quanto ao Brasil, eu já não tenho esperança...


Monday, 22 September 2008

Carros e Montadoras – O Custo do Mercado Protegido no Brasil

Uma das coisas que eu realmente não consigo entender é a diferença de preço dos carros entre o Brasil e o Canadá. E se considerarmos o poder aquisitivo da população a situação fica ainda mais séria.

Tenho conhecidos que trabalham no segmento e eles dizem que os preços altos são consequência dos impostos, mas eu sinceramente não acredito nessa versão.

Até porque se a diferença fosse apenas impostos os carros para deficientes físicos que são vendidos com todas as isenções fiscais seriam mais baratos que no Canadá.

Isso é apenas mais uma das coisas que me dão a sensação de que algumas coisas no Brasil são ridículas em termos econômicos.

Seja qual for a razão, essa diferença de preço faz com que os brasileiros sejam obrigados a comprar carros de péssima qualidade e sem recursos de segurança pelo preço que os canadenses compram carros modernos e seguros.

Nessas horas eu me pergunto...Cadê a Globalização?

Aqui vão alguns exemplos de preços considerando os preços de tabela de alguns carros acrescidos dos impostos canadenses equivalentes ao nosso ICMS calculados em 12,5%, lembrando que em Alberta esse imposto sera de 5%.

Honda Civic
Canadá – CAN$ 22.050,00 x 1,8 = R$ 39.690,00
Brasil – R$ 65.460,00

Nissan Sentra
Canadá – CAN$ 20.388,00 x 1,8 = R$ 36.698,00
Brasil – R$ 59.500,00

Toyota Corola
Canadá – CAN$ 18.382,00 x 1,8 = R$ 33.087,00
Brasil – R$ 59.989,00

Bingo...Essa é a diferença entre uma economia de mercado e uma economia protecionista!!!


Friday, 19 September 2008

Français + English = Montréal

Depois desses três meses vividos no Québec eu pude confirmar a minha suspeita inicial de que por lá a gente precisa falar bem Francês e Inglês.

Claro que para algumas profissões específicas o conhecimento de uma das línguas é suficiente. Nesse grupo eu coloco os profissionais de T.I. e os professores de línguas, mas para quem vai encarar processos seletivos para cargos que necessitem de maior relacionamento com o público, ou com outras provínvias, o pré-requisito é ser bilíngue.

É óbvio que ninguém do Governo do Québec vai te dizer isso, ainda mais com toda essa coisa de separatismo, mas eu cito isso aqui por achar que esse ponto é muitas vezes negligenciado por nós futuros imigrantes que achamos que o francês é suficiente.

Como tem sempre alguém que desconfia do que a gente escreve eu sugiro uma rápida busca por um emprego na sua àrea de auação para constatar que apenas uma das línguas oficiais não é suficiente. Utilizem o Jobboom ou o Monster que são os mais conhecidos e tirem suas próprias conclusões.

Por isso eu tomei uma decisão e a parttir dessa semana eu comecei a estudar as duas línguas e posso dizer com 100% de certeza que não é uma experiência agradável, mesmo para quem tem um conhecimento aprofundado do inglês.

Tem horas que o cérebro não processa a informação corretamente e você acaba metendo palavras onde não deve. Eu sinceramente espero que em breve ele se acostume com isso.

Quando penso na mistura de idiomas eu me lembro de um diálogo que acompanhamos quando estavamos passeando por Westmount e duas senhoras conversavam. Uma falava em francês e a outra respondia em inglês.

É mole?


Sunday, 14 September 2008

Manchete de Jornal


As vezes as pessoas mais próximas perguntam porque nós vamos abrir mão daquilo que construímos no Brasil para recomeçar no Canadá.

Infelizmente, por mais que a gente explique, quem está por aqui e ainda não acordou para o nível de violência atual do país não consegue enxergar a guerra civil que a gente enfrenta diariamente.

Eu sinceramente não consigo achar normal o fato de pegar o jornal de Sábado para ler e me eparar com uma primeira página dessas. No Canadá nós estaríamos vendo onde passaríamos o dia...e aqui estamos sempre em frente a TV e sem coragem de sair de casa.

Desculpem pela postagem tão dura, mas tô cansado...


Friday, 12 September 2008

Citizenship, Immigration and Federalism: The Complexity of Modern Democracy in Canada

Esse texto foi citado no Blog Building Bridges e acho que a leitura é válida. A publicação original está no site do "Governor General of Canada".

++++++++++++++++++++++++++++++++++++

His Excellency John Ralston Saul
Speech given at the opening of the new Canadian Embassy
Berlin, Germany - May 13, 2005

"There's been a lot of progress in the past few years in relations between Canada and Germany. In many ways we have an enormous amount of work to do and I think Canadians are very conscious of it, certainly the government is. .

Obviously, we disagree on some things. What, exactly, I don't know but it must be a very interesting area to discuss because we agree on so many areas and wherever the other is a little bit ahead, we're asking them how they're doing it. There are a whole series of areas where Germany is way ahead of Canada and there are a few where Canada is probably ahead of Germany.

So I thought I would talk for a little while about something that all of you who have been to Canada know about. It's interesting to think about this as a Canadian when you come to Berlin and it's interesting for Germans who have been to Canada to think about it periodically once they're living again in Germany. That's the whole question of citizenship and immigration. Or turn it around to reflect the true order of it - immigration and citizenship. ..


Tuesday, 9 September 2008

Uma semana de Brasil

Pois é, já faz uma semana que voltamos... Como foi o sentimento... tristeza! Infelizmente a alegria de reencontrarmos a família, os amigos e os cães, não foi suficiente para superar a nossa tristeza. Só percebemos como voltamos mais tranquilos e como estavamos bem, quando começamos a nos estressar com as coisas daqui.

Infelizmente, a tranquilidade já está ficando de lado e aquela insegurança o tempo todo já está consumindo a gente! Para os que já estão no Canada, aproveitem a tranquilidade de andar na rua sem ter medo de ser assaltado, a gente só se da conta mesmo quando volta para cá.

Enfim, a vida continua e temos muitas coisas para resolver antes de irmos de vez. Por enquanto, nenhuma notícia do Consulado e vamos esperando...

Na semana passada mesmo, já retomamos nossas aulas de inglês e amanhã começam nossas aulas de francês. Pensamos em deixar o francês um pouco de lado para nos dedicarmos no inglês, mas... peso na consciência e resolvemos que vamos estudar pelo menos até novembro para fazer o DELF. E o inglês vamos levando...

Ainda temos que decidir muitas coisas, como por exemplo para que cidade vamos, já conversamos muito, mas ainda não chegamos a nenhuma conclusão. Acho que vamos acabar com a famosa listinha de "prós e contras". O interessante é que a primeira pergunta de todo mundo é: " E aí? Vão morar aonde?". Acabamos explicando que como podemos escolher, vamos esgotar todas as possibilidades.

Passei para dar notícias, até porque estou "muito ocupada" com o presente que o Fá comprou para ele e que na verdade eu peguei para mim, rsrsrs, um PlayStationPortable. Estou viciada nesse negócio, rsrsrs.


Tuesday, 2 September 2008

De Volta ao Brasil

No Domingo nós chegamos cedo no aeroporto de Montreal, pois tivemos de deixar o carro na locadora às 14:00h, então deixamos o carro no centro da cidade e chegamos no aeroporto às 15:00h.

Pegamos nosso vôo para Toronto às 20:00h e a conexão para Guarulhos às 23:15h. O vôo teve muita turbulência e a Sô não conseguiu dormir e passou mal durante a segunda metade do vôo. Eu fiquei preocupado com ela, mas depois que pisamos em São Paulo perto das 11:00h ela melhorou. Nada como gastar dinheiro no Dutyfree...

Como nosso vôo para Recife estava marcado para às 23:00h nós fomos a loja da TAM e conseguimos antecipar nossa ida para às 17:00h. Como ainda tínhamos algumas horas, fomos conhecer o Fast Sleep que fica dentro do terminal do aeroporto.

Trata-se de um "Hotel" onde em os quartos tem cama, internet gratuíta, TV e banheiro. Não é barato, 2 horas custam R$ 94,00 para um casal, mas como a Sô precisava se deitar nós pagamos o preço e acho que valeu a pena. Depois de um banho e 1 horinha de sono as baterias deram uma recarregada.

O vôo para Recife foi pontual e às 20:30h já estavamos em casa com meus pais e nossos cachorros. Agora estamos arrumando nossas coisas para voltarmos a rotina e os peludinhos não desgrudaram da gente.

De acordo com a nossa programação, faltam 6 meses para a nossa viagem definitiva e precisamos afinar as línguas e organizar o restante das coisas.

À la prochaine...


Saturday, 30 August 2008

Reta Final

Hoje é nosso penúltimo dia no Canadá e já estamos com aquela saudade...

Saudade do francês, das pessoas, da organização e do respeito. Uma das coisas mais marcantes para mim foi perceber a relação dos canadenses com o Poder Público.

Explico...Durante nossa viagem nós visitamos o parlamento em Ottawa e fizemos um tour gratuito. E quando estávamos lá dentro, a ficha caiu para muita coisa. Aqui no Canadá o Parlamento é realmente a casa do povo e serve ao povo.

Em seu jardim externo TODOS podem se sentar, fazer seu lanche, praticar esportes e a noite, no verão, existe uma projeção de imagens na fachada do parlamento que conta a história do Canadá. Sem PM, PF e com muito, mas muito respeito ao visitante e as instituições.

Para muita gente isso é bobagem, mas para quem vem de um país onde os políticos são praticamente todos corruptos e cada vez mais distantes da população, o simples fato de podermos visitar o Parlamento de bermuda e num clima de respeito é algo que não tem preço.

Sabemos que a perfeição é divina e não buscamos isso no Canadá. Mas depois de três meses por aqui podemos dizer que o que vimos da organização do país superou o que imaginávamos e hoje temos certeza de que fizemos uma boa escolha.

Sabemos que aqui existem problemas e preconceito, mas sabemos também que as instituições funcionam e que nosso sucesso dependerá em grande parte do nosso esforço. Estamos certos de que aqui estaremos em casa...chez nous.

Mudando um pouco de assunto...

Ontem nós fomos as compras já que nosso planejamento é chegar por aqui em Fevereiro e precisaremos de roupas de inverno. Compramos botas impermeáveis adequadas a temperaturas de até -30C, polar, luvas, "couche intermédiaire" e "couche de base". Nós já tínhamos os "impermeables" e gastamos uma boa grana.

Agora já estamos preparados para a chegada por aqui e o único problema atual é arrumar espaço nas malas para tudo o que compramos :) Roupas de inverno custam caro, mas como não temos nem idéia do que será o clima daqui, relaxamos e gastamos a grana...

Mudando de assunto novamente...

No final da tarde tivemos um encontro com um "amigo de blog" o Alexandre do J'Arrive Québec. Foi uma conversa breve, mas muito legal. Eles já estão bem encaminhados e os dois trabalhando. Fico imaginando que esse assédio de quem chega por aqui e quer conhecê-los as vezes deve ser um saco para eles. Por isso, aqui fica nosso agradecimento pelo tempo que ele nos dedicou...

Fico por aqui que vamos dar uma última volta por Montréal....


Wednesday, 27 August 2008

Trois-Rivières

Na terça-feira deixamos a Ville de Québec e viemos para Trois-Rivières, já que nossa viagem foi traçada considerando as cidades onde existem universidades.

Estamos hospedados num B&B nas margens do rio, com uma vista muito legal e já visitamos uma fábrica de queijos e fizemos um cruzeiro de 90 minutos pelo rio. A cidade é pequena, mas tudo é no lugar.

Infelizmente a Sô não curtiu muito o tamanho de cidade, embora as cidades pequenas daqui tenham uma boa estrutura de transporte, comércio e educação. Mas decididamente, a cidade ganha disparado de Sherbrooke.

Aqui as casas são bem cuidadas e a cidade é limpa. Pelo que podemos perceber ao conversar com a dona do B&B, Thérèse, uma francesa que imigrou para o Québec há algumas décadas, a cidade tem se voltado para o turismo e isso a gente percebe em alguns detalhes.

O que ela também comentou no café da manhã de hoje foi que no Québec existe muito preconceito com relação aos imigrantes. E que também existe racismo. Isso mesmo, racismo. A gente já tinha percebido isso, mas quando alguém que mora aqui diz isso o peso é maior.

Antes que alguém se revolte, ela também fez questão de reforçar que a situação tem melhorado e o preconceito relativo aos imigrantes tem diminuído nos últimos anos. Ela acha que isso acontece em virtude do aumento da escolaridade da população. No Québec nós descobrimos que há poucas décadas as mulheres não iam à escola.

Ficamos por aqui.

À la prochaine!!!


Saturday, 23 August 2008

Mudança de planos

Nossa programação de viagem para essa semana era Trois-Rivières, mas quando chegamos lá na terça-feira, surpresaaaa: não tinha lugar para ficar na cidade! Estava tendo congresso, competição de não sei o que e resultado: todos os hotéis estavam lotados. Como estavamos lá, aproveitamos e já reservamos nosso BB para a próxima semana.

Então ligamos para nossos queridos amigos e salvadores Luiz e Anna e conseguimos um lugar para dormir, então cá estamos nós na Ville de Québec!

Hoje fizemos um passeio interessante, fomos para o Mont-Sainte-Anne, que é uma estação de sky no inverno e quando não tem neve, tem trilhas para caminhadas, bike, golf e mais. Mas o principal motivo foi para conhecermos a "Village Canin" que é um espécie de canil dos cachorros da estação de sky, que momentaneamente estão de férias.

Eles tem cerca de 65 cães que no inverno puxam os trenós da estação de sky, ou seja, eles estão de férias mas no inverno pegam no pesado. Os cães são cruza da Husky e Malamute que são cães apropriados para esse tipo de trabalho e para o frio.

Muito queridos e dóceis, uma pena que chegamos quase no final da explicação da adestradora, mas ainda deu para pegar algumas explicações. Como estou com muita saudade dos meus cães aproveitei para dar um pouco de dengo para os cães trabalhadores.

A vista de cima da montanha é linda, mas achamos as instalações da estação muito descuidadas. De qualquer forma, no inverno, como a neve cobre grande parte das "imperfeições" pode ser que o lugar fique mais charmoso. Lá podemos observar que as cores das árvores estão começando a mudar, já estão ficando mais com a amareladas. É uma pena que não estaremos aqui para ver as cores do outono aqui.

Estamos no ritmo de final de viagem e estamos meio preguiçosos e cansados para fazer passeios, mas temos que aproveitar... então amanhã vamos achar alguma coisa para fazer!

À la prochaine!


Tuesday, 19 August 2008

Curtas 3

Deixei a preguiça de lado e resolvi dar notícias...

1) Deixamos Montréal – saímos de Montréal dia 12/8. Uns dias antes de botarmos o pé na estrada, como estamos com um carro alugado, fomos conhecer alguns bairros e cidades mais distantes do centro da ilha de Montreal. Conhecemos, ou melhor, passamos por Laval, Pointe-Claire, Lachine, Dorval, Longueuil, St-Hubert, Brossard, Candiac e encontramos diversos locais com imóveis novinhos. O que para nós é muito importante. Ficamos um pouco mais tranqüilos, pois ainda resta uma esperança para Montreal.

2) Passos seguintes: depois de Montreal, fomos para Ottawa e Gatineau e estamos em Sherbrooke. Amanhã a tarde vamos para Trois-Rivières e provavelmente no sábado vamos para Ville Du Québec.

3) Ottawa e Gatineau – adoramos as cidades, são lindas!! Não sei se foi o sol que deu o ar graça, pois os dias ensolarados foram raros nos nossos quase três meses de Canadá, mas ficamos encantados com a as duas cidades. Muito verde, parques para todos os lados, ciclovias, tudo limpo e no lugar! Com certeza elas entraram na disputa da “cidade onde vamos morar”. ;)

4) Sherbrooke – é uma cidade pequena, 151mil habitantes, mas com infra-estrutura de cidade grande, as avenidas principais da cidade são todas duplas, diversas lojas (Future Shop, Zelers, Simons, concessionárias de veículos de todas as marcas, Mc Donald`s e Buguer King 24horas), mas... não rolou empatia com a cidade.

5) Universidades em Sherbrooke - Amanhã vamos fazer um tour na Bishop’s University, universidade de língua inglesa, que marcamos pela internet ontem. Já na Université de Sherbrooke, universidade de língua francesa, foi impossível falar com alguém pois “estão todos muito ocupados com o início das aulas” e olha que eu expliquei para a tiazinha que sou do Brasil, estava aqui para conhecer a universidade pois vou imigrar no próximo ano, mas ela disse que não poderia fazer nada. Quem me conhece deve imaginar como eu fiquei feliz com a resposta! Mas... tudo bem, vai ver que foi um sinal.

6) Olimpíadas – claro que estamos acompanhando as Olimpíadas, mas o que está valendo a pena são as reportagens na Radio-Canada do Jean-René Dufort. O cara é uma figura, vale a pena ver e para aqueles que estão no Brasil é bom para aperfeiçoar a “comprenssion orale”. Para ver as reportagens besta entrar neste link, clicar em "sur demande" e procurar por dia por volta das 11:40. Ele tem uma coluna no site que também vale a pena conferir.

Bom, acho que já dá para saber que estamos vivos, né?!


Friday, 15 August 2008

Show de Eddie Vedder

Já faz algum tempo que estou para escrever esse post. Por quê? Porque simplesmente faltam palavras para descrever o que foi o show.

Durante vários anos eu tenho acompanhado o som do Pearl Jam. Seja com cobertura da mídia ou sem respaldo do mercado, os caras sempre tiveram seu espaço. Confesso que as minhas expectativas não eram tão altas, afinal de contas, o show seria apenas do vocalista, mas o cara fez um show maravilhoso.

Ele tocou várias músicas do CD solo e algumas do grupo. Tirando a última música do show, que ele cantou com dois convidados, nas outras músicas ele estava só no palco. Voz e violão!!!

O cara é muito carismático. Brincou com a cidade, convidou uma garotinha que estava comemorando aniversário para subir ao palco e fez festa com a platéia.

Valeu cada centavo!!!

Tem coisas no primeiro mundo que não tem preço. Lugares marcados, organização e o direito de ir e voltar do show andando.


Tuesday, 5 August 2008

Montréal Alouettes - Futebol Americano


Na quinta-feira passada nós fomos assistir a um jogo da CFL. O jogo foi bastante interessante, mas os lugares que compramos não davam visão para todas as jogadas, já que ficamos atrás da end-zone. Os Alouettes ganharam a partida por 40 x 33 e a experiência foi muito boa.

Pelo que entendemos todos os ingressos foram vendidos e faz alguns anos que o estadio está sempre lotado.

Se ficarmos em Montréal esse será um programa que irei fazer!

É totalmente americano, mas eu adoro esportes e achei o jogo muito interessante.


Friday, 1 August 2008

Orchestre Symphonique de Montréal

Na quarta-feira nós assistimos a uma apresentação do Festival Mozart Plus na Salle Wilfrid-Palletier na Place des Arts. No programa estavam concertos de Mozart, Bizet e Ravel.

Foi simplesmente maravilhoso! A complexidade de uma orquestra é algo que a gente só pode entender quando a gente assiste ao vivo. Nós compramos os ingressos mais baratos que custaram $ 24,84 cada, mas mesmo assim deu pra sentir um gostinho bem especial.

Eu sempre tive a curiosidade de ouvir uma Orquestra pessoalmente e posso dizer que a experiência superou em muito as minhas expectativas.

Esse é um programa que iremos repetir no futuro!


Wednesday, 30 July 2008

Show do Coldplay

Ontem fomos ao tão esperado show do Coldplay. O horário do ingresso estava às 19:30, então nos programamos para chegar às 18:30. Foi muito tranquilo e maravilhoso!!!

O show foi no Centre Bell que é o estádio dos Canadiens, o time de hoquei de Montréal. É muito estranho ir num evento de cerca de 20mil pessoas e não ter nenhum tumulto e quando eu digo nenhum, é nenhum mesmo. Como chegamos relativamente cedo, nem fila pegamos. Os lugares eram marcados, todo mundo chegava, procurava seu lugar e sentava. Eu só lembrei quando fomos para o show do U2 no Morumbi, que chegamos no início da tarde, tinha engarrafamento, filas enormes, um estresse e depois para chegarmos no hotel demoramos quase 3 horas. Aqui levamos cerca de 25 minutos entre o fim do show até chegar em casa e olha que temos que caminhar 10min do metro até em casa.

Sem falar que podemos andar sem se preocurar em sermos assaltados com uma arma...

Teve dois shows de abertura, muito ruim por sinal e as 21:20 o Coldplay começou a tocar. Tocaram as músicas do álbum novo e os principais sucessos. Segundo o Fá, minha cara estava ótima, sabe aquela de criança que acabou de ganhar o tão sonhado presente. Eu realmente estava muito feliz. O cenário era simples, mas com muitas projeções de imagens, muito legal, teve duas músicas que eles tocaram no meio da platéia. Foi realmente maravilhoso!

Valeu cada centavo que pagamos pelos ingressos, que foram bem caros. Mas afinal, trabalhamos para isso também!

No meio do show, eu comecei a pensar "isso que é viver". Poder ir para um evento desse tamanho, de transporte público, sem empurra empurra, sem medo de ser assaltado, com seu lugar marcadinho...ai, ai....

No dia 10/8 iremos no show do Eddie Vedder, vocalista do Pearl Jam, e para esse iremos á pé, pois é em um dos teatros da Place des Arts que é há 10min do nosso apartamento.

Isso que é vida, heim?!....


Sunday, 27 July 2008

United Airlines nunca mais!!!!

Postagem copiada do blog Paulistanos Numa Fria. Vamos divulgar!
-------------------------------------------------------------------
Sunday, July 27, 2008

United Airlines nunca mais!!!!
Fica aqui uma dica para todos: fujam da United.Vamos aos fatos. Meu irmão veio pra cá para trazer as minhas gatinhas. A United foi escolhida por ser a única cia aérea a aceitar animais na cabine, fato confirmado antes da compra das passagens, perguntei para a atendente se mesmo gatos adultos eram transportados dentro da cabine, e ela disse que sim que gatos sempre vão na cabine mesmo adultos, que quase nunca são despachados. Depois da reserva e da compra das passagens a coisa mudou. A caixa para transporte na cabine deve ter 20cm de altura, ou seja, aparentemente só filhotes de gatos ou cachorros de raças bem pequenas pois para que os animais possam ser transportados no avião é necessário que o animal consiga ficar em pé e dar uma volta completa dentro da caixa. Ok. Aceitável, concordo que é desumano deixar algum bichinho tão expremido por tanto tempo, mas mesmo assim acho que a atendente deveria ter explicado melhor antes de inventar que a maioria dos gatos vão na cabine. Minhas gatas nao sao grandes, sao inclusive pequenas comparando com outras racas. Mas ate ai tudo bem, fiquei com do pq elas teriam que ser despachadas, mas como era o unico jeito de te-las por aqui aceitamos.

O voo era Sao Paulo-Washington-Ottawa. Em Washington no momento em que meu irmao ia embarcar anunciaram o nome da minha cunhada pelo microfone e mandaram eles irem para o ultimo portao do aeroporto. Eles tinham que pegar o voo no portao numero 6. Foram ate la e um funcionario da United disse para minha cunhada que havia um problema com as gatas e que ela deveria ir com ele para procurar as gatas, que ate aquele momento estavam perdidas. Minha cunhada foi procurou e nada, imaginem o desespero dela, se fosse eu acho que tinha matado um por perderem minhas gatas. Uns 20 minutos depois avisaram pelo radio que tinham achado as gatas e que elas estavam no aviao com destino a Ottawa e que minha cunhada e meu irmao deveriam embarcar imediatamente pois faltavam 5 minutos para a decolagem. Detalhe: eles estavam do outro lado do aeroporto e sairam correndo, mas mesmo assim nao deu tempo. depois comecou outra lambanca da United que nao sabia novamente onde estavam as gatas. Primeiro informaram que elas tinham ido no voo para Ottawa, depois confirmaram que elas nao tinham embarcado. Depois de tudo isso minha cunhada exigiu ver as gatas para ver se eram elas mesmas e nao queriam deixar, depois de muita insistencia e uma seria ameaca de barraco resolveram deixar ela ver as duas. Elas estavam bem, a Penny tinha feito xixi na caixinha e ela conseguiu colocar uma toalhinha pra ela nao se molhar. Isso aconteceu 8:00 da manha. O proximo voo sairia 12:30. O voo atrasou. Saiu 13:30 e as gatinhas la ficando cada vez mais estressadas. Chegando aqui, para completar a viagem perfeita eles descobriram que todas as malas foram extraviadas. 4 malas, 2 com roupas deles e 2 so com coisas minhas que eu tinha deixado em Sao Paulo pra vir depois, edredon, travesseiros, lencol, toalhas, meus DVDs que sobraram e mais um monte de outras coisas, mas pelo menos nossas gatinhas chegaraem e chegaram bem. No aeroporto informaram que as malas ja haviam sido localizadas e que iriam ser entregues no mesmo dia ou no maximo no sabado de manha. Sabado de manha passou e nada, ligamos para a United e informaram que a malas seriam entregues de noite, mas que uma tinha ficado para tras. Ate agora nada das malas. Ligamos na United novamente e tudo o que conseguimos foram informacoes desencontradas, uma atendente fala que as malas estao aqui em Ottawa mas que nao podemos pegar no aeroporto pq estao com o servico de delivery, outra falou que nao e possivel afirmar que as malas estao em Ottawa, teve ate uma que falou que era para ficarmos tranquilos pq as gatas estavam sendo bem cuidadas, eu ate respondi: logico que estao sendo bem cuidadas, elas estao aqui comigo...ou seja, a infeliz nem sabia se as gatas tinham chegado aqui ou nao e ficou dando desculpas esfarrapadas, agora se eles nao sabem nem o destino de carga viva quem dira das malas. Enquanto isso meu irmao e minha cunhada tem que ficar trancados aqui em casa pq eles tem que receber as malas pessoalmente. Uma puta palhacada, ninguem sabe informar nada direito. Eles estao usando a ultima troca de roupa e ao perguntarmos para o pessoal da United se podiam dar algum vale ou reembolso caso eles comprem roupas para usar enquanto as malas nao aparecem disseram que poderiamos "tentar" mandar os recibos com os gastos das roupas pelo correio pq "talvez" o reembolso de 50% (isso mesmo so metade) seria aprovado, mas que isso so poderia ser analisado no departamento correto. Otimo nao? Quando as malas chegam? So Deus sabe, nem sabemos se vao de fato aparecer, mas que com certeza vamos entrar com uma acao contra a United, ah isso vamos. Pelo amor de deus....nunca vi tanta falta de organizacao em um lugar so. Se eu estivesse no lugar da minha cunhada quando falaram que as gatas estavam "perdidas", ninguem sabia onde estavam e eu teria que ajudar a procurar, nao sei nem qual seria minha reacao, acho que eu seria capaz ate de agredir alguem por tamanha irresponsabilidade, nunca levem nenhum animal atraves da United a irresponsabilidade dessa companhia de merda e insuperavel.

Quanto as meninas, gracas a Deus elas chegaram junto com eles e ficaram assustadas so no aeroporto, estranharam o apartamento por no maximo 15 minutos, depois de explorarem tudo (coisa que nao demorou muito pq o ape e pequeno) ja estavam tranquilas. Fiquei morrendo de medo delas ficarem agressivas por estarem num ambiente estranho, a Cherie quando ia para o Pet shop virava outra gata, arranhava e mordia todo mundo que tentasse tirar ela da caixinha, aqui ela saiu sozinha da caixa e logo depois ja estava toda carinhosa com a gente.Estou muito feliz por poder te-las aqui, agora nossa casa esta completa, mas se eu soubesse que a United era tao desorganizada com certeza teria arrumado outra cia aerea, mesmo que tivesse mais escalas. Passagem da United nem de graça eu quero mais.

Bom gente, por hoje e isso, se as malas aparecerem eu escrevo, mesmo que seja um post pequeno so pra avisar.

Beijos,Ju

P.S.: Nossas aulas de inglês começam segunda mesmo.

------------------------------------------------------------------------------


Saturday, 26 July 2008

Ville de Westmount et Festival du Homard

Ontem o Sol resolveu reaparecer e a gente aproveitou para ir conhecer mais um dos bairros de Montréal, Westmount.

Trata-se do bairro inglês da cidade e ao pesquisarmos o bairro antes de visitá-lo nós descobrimos que esse bairro não faz parte dos Arrondissements de Montreal e que Westmount é na verdade uma cidade idependente.

Tem coisas que são realmente diferentes no Québec...

Enfim, a cidade de Westmont que tem 22.000 habitantes é considerada um dos "bairros" mais ricos de Montreal. Quando chegamos por lá nós pudemos verificar a beleza das casas, dos parques e o padrão de vida elevado. Pra quem diz que o Québec é socialista esse é um bom exemplo de capitalismo.

Essa é uma região que eu posso adicionar aos locais onde nós gostaríamos de viver. Limpo, organizado, estruturado e com muitas áreas para passear com os cachorros. Um pedacinho da Inglaterra...

Saindo de lá passamos na SAQ, compramos uma garrafa de vinho rosé e fomos jantar num restaurante grego do estilo "Apportez votre vin". Comemos uma entrada e depois uma lagosta (Homard) grelhada com alguns vegetais. A comida estava boa, mas não estava maravilhosa. O jantar custou $ 12,20 do vinho + $ 45,00 do restaurante.

Considerando que cada um comeu uma lagosta grelhada eu considero que o preço foi justo. Quem nós conhéce sabe que a gente ama os frutos do mar.

A época na qual os restaurantes podem vender as lagostas vai até Agosto e na próxima semana vamos buscar um bom restaurante para comer LE HOMARD...

À la prochaine...


Wednesday, 23 July 2008

Évaluation comparative des études effectuées hors du Québec

Hoje fomos ao MICC dar entrada na famosa Évaluation. Chegamos lá por volta das 15:00h e saímos às 16:45h.

O processo é burocrático, mas simples. A gente preenche os formulários, anexa os diplomas, histórico de notas com as respectivas traduções aceitas pelo MICC e a cópia do CSQ. Depois de 9 semanas eles enviam o resultado pelo correio.

O MICC não fica com nenhum original do processo, apenas tira cópia da documentação. Agora é só esperar que os Correios funcionem e entreguem o documento no Brasil.

Au revoir...


Monday, 21 July 2008

Ville de Québec - Algumas Fotos...

L'Hôtel de Ville - Prefeitura


Le Château Frontenac - Hotel


La Chute Montmorency


Orquestra de Québec no Parc Roland-Beaudin